Hospital Geral Unimed desenvolve programas contínuos de Qualidade para manter um ambiente confortável e seguro a pacientes, colaboradores e visitantes.

 

Política da Qualidade

 
 Trabalhar em prol da melhoria contínua com qualidade, segurança e excelência nos serviços prestados buscando a satisfação dos clientes/cooperados/colaboradores, atuando em conformidade com órgãos regulamentadores e certificações de acreditação ONA e RN 277.
 
Objetivos do Sistema de Gestão da Qualidade:
- Segurança do paciente
- Satisfação dos beneficiários/pacientes, cooperados e colaboradores
- Eficiência operacional por meio de visão sistêmica e gestão por processos
- Atendimento a normas internas e órgãos regulamentadores
- Atendimento integral aos requisitos das certificações de acreditação ONA e RN 277
- Gerenciamento de Riscos
 
 

 

GESTÃO DE RISCOS

A Gestão de Riscos do HGU desenvolve ações de prevenção e controle de riscos de acordo com o perfil epidemiológico e assistencial do hospital e dos objetivos estratégicos.

O HGU trabalha com a cultura da vigilância de risco e segurança no ambiente hospitalar, especialmente nos cuidados com o paciente.

SEIS METAS INTERNACIONAIS DE SEGURANÇA DO PACIENTE

Criada em 2005, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a Aliança Mundial Para Segurança do Paciente identifica as seis áreas de maior risco na assistência aos pacientes em hospitais.

1. Identificação correta do paciente

Pulseira de identificação no paciente, prontuário, prescrições e identificação dos leitos.

2. Comunicação efetiva

Os profissionais de saúde anotam detalhadamente as informações relacionadas a assistência e aos cuidados prestados no prontuário eletrônico e as repassam verbalmente nas trocas de plantão.

3. Segurança das medicações de alta vigilância

Identificação nas ampolas/frascos de medicamentos potencialmente perigosos, com cores e identificadores de atenção (ex.: psicotrópicos e medicamentos/embalagens com nomes parecidos).

4. Assegurar cirurgias com local de intervenção correto, procedimento correto e paciente correto
O médico fornece ao paciente um termo de consentimento contendo informações sobre o procedimento. Esse documento será solicitado pela equipe do hospital no momento do check-in. Na unidade de internação, a equipe assistencial irá checar as informações relacionadas ao preparo para o procedimento. Essas mesmas informações serão confirmadas novamente no centro cirúrgico.

5. Reduzir o risco de infecções associadas aos cuidados de saúde

O Núcleo de Infectologia e Segurança do Paciente padroniza rotinas com o objetivo de garantir a minimização de riscos de infecção. Atua com treinamentos, disponibilização de lavatórios e insumos necessários para a higienização das mãos, além de editais informativos e dispensers de álcool gel em pontos estratégicos.

6. Reduzir o risco de lesões ao paciente, decorrentes de quedas

Na admissão do paciente, a enfermagem avalia o risco existente para queda por meio de uma escala específica. Caso exista a probabilidade, o paciente é identificado com um pingente na pulseira e ações são realizadas para garantir a segurança (ex.: manter as grades da cama elevadas).

CIRURGIA SEGURA

O HGU conta com rígidas normas internas, elaboradas a partir de diretrizes da Organização Mundial da Saúde, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária e do Ministério da Saúde.

A iniciativa Cirurgias Seguras Salvam Vidas, foi estabelecida pela Aliança Mundial para a Segurança do Paciente como parte dos esforços da OMS para reduzir a mortalidade por cirurgias no mundo. Para auxiliar as equipes cirúrgicas na redução do numero destes eventos, a Aliança identificou um conjunto de verificações de segurança que poderia ser realizado em qualquer sala de operação.

 

CONTROLE DE INFECÇÕES

O Núcleo de Infectologia e Segurança do Paciente coordena atividades de investigação, prevenção e controle, com o objetivo de reduzir a incidência e a gravidade das infecções hospitalares às menores taxas possíveis.